Não houveram as cervejas da tarde de domingo, e a prospecção preparada para depois do ensaio não aconteceu. Mas isso não foi problema.

Nos encontramos todos na casa do Pedro e fomos pra o ensaio no Cidade Baixa. A Homera foi junto, já meio tristonha por estar indo embora no dia seguinte. Eu disse pra ela parar com essa mania de ir embora, mas não adiantou. Mais uma vez fomos violentamente sabotados pelo estúdio. Mais precisamente eu, pois as caixas da voz estavam fudidas de novo, e o som estava baixo e grave demais. Uma merda. Mas tocamos e nos divertimos assim mesmo, revendo mais alguns covers do show que eu falei antes. Depois do ensaio decidimos ir a algum lugar comer. Sugeri um restaurante árabe, mas acabamos indo pra casa do Pedro e pedindo um bauru cada um. Antes disso, uma velha chata, daquelas que vende adesivo ficou me pentelhando. Resolvi comprar um para dar para a Go. Quando eu cheguei na casa do Pedro ela me deu um desenho. Era eu, afinal, tinha antenas. Ela retribuiu os adesivos com um beijo e fuga correndo. Hehehe. Ela é igual à Mari. Incrível.

Assistimos DVDs e concordamos que devemos sequestrar a Mazzy Star assim que possível. Debatemos sobre o nariz da P.J. Harvey e mantive minha posição de que não pegaria. Eu, o Cris e o Guga conversamos sobre ir pro Planeta Atlântida assistir o Massacration, e pra eu e o Cris prospectarmos uns galetos. Depois disso, voltei pra casa e mantive minha insônia até umas quatro da manhã.

Ontem eu descobri que minha conta do Starsky & Hutch deu 27 reais, mas que a “loirinha simpática que deveria usar decotes maiores” da locadora me deu um desconto de 9 reais pra que eu volte mais vezes.

Almoço superphonico (eu, pedro, sérgio e Gigi). Rimos bastante, pra variar. Tomei uma Caracu medicinal. Trabalho chato. Revolta básica. Conversa com a Renata.De noite jogo.

Insônia até as 3.

De manhã eu, gênio renomado, descubro que tinha colocado o celular pra despertar mas mantido ele no silencioso. Corri, tomei banho, me vesti. Olhei o cardápio. Exercitei meu sadismo. Fui trabalhar. Renata me mostra a idéia que teve. É divertido reler tudo aquilo.

Almoço na casa dos pais após dias deles na praia. Tudo rápido. Carne ótima. Incrível como me dou cada vez melhor com eles desde que não moramos mais juntos.

Passo em casa. Converso com uma prospect que não sabe que é prospect ou faz que não sabe. Ela fala que o namorado não anda se puxando. Se tu não faz teu trabalho, alguém vem e faz pra ti, sempre digo.

Volto pro trabalho. Porra nenhuma pra fazer. Revolta. Sorvete com a Cau e com a Fabi e conversa entre a importante diferenciação entre Cafajestes e Canalhas. De volta pra cá. Escrevo tudo isso.

Deixe uma resposta