Proatividade X Produtividade

Em um ano de crise histérica no mercado mundial, produtividade e proatividade são temas bastante em voga. A produtividade é algo bastante lógico de se buscar em um momento de crise, já a proatividade… bem, todo mundo sabe que democracia é algo que eu abomino, e que se fosse bom o governo era contra. Pois bem…

Encorajar a proatividade desmedida é um ato impensado. Na verdade, praticamente um ato de absoluta fé na capacidade da humanidade, e na igualdade de competência entre todos os seres humanos. Ou seja: claramente uma atitude de absoluta insanidade e descompromisso com a realidade.

Pedir que qualquer um seja proativo é fruto do mesmo comportamento inconsequente que levou à criação do Twitter sem levar o Paulo Coelho em consideração. É algo muito mais potencialmente perigoso do que proveitoso. Em resumo, uma bela cagada.

Proatividade só deveria poder ser exercida com autorização. Afinal, proatividade trata-se de fazer algo que ninguém te pediu pra fazer. Mas a realidade é que, assim como a única diferença entre a coragem e a idiotice é o sucesso da empreitada, a única diferença entre ser proativo e se meter de pato a ganso, é o mesmo sucesso. E, encaremos os fatos, a chance de resultar em merda é sempre maior do que em algo que preste. Principalmente porque boa intensão e falta de noção andam sempre pornograficamente abraçadas.

Portanto, se o uso constante do cérebro não é o seu forte, não seja proativo. Seja ágil, eficiente e bem mandado. Mas não sai fazendo sem aprovação prévia porque, meu amigo, tu vai cagar tudo. Por mais que tu só quisesse salvar a humanidade.

Produtividade é algo diretamente ligado ao raciocínio. É fazer bom uso do tempo, das ferramentas e das informações. Além de conseguir ver os padrões na maneira em que o universo se comporta e assim prever o que vem por aí. E é por isso que a proatividade provinda de imbecis não resulta em produtividade. Proatividade acaba sendo resultado de uma vontade neurótica de mostrar serviço. E esse “mostrar serviço” acaba sendo muito mais “causar trabalho” do que “obter resultados”.

Certamente muita gente vai discordar de mim. Mas é por isso que eu prefiro House, e essas pessoas preferem Gilmore Girls.

Deixe uma resposta