Cancelamento

Então… o que somos hoje a não ser uma versão insuportavelmente comedida de nós mesmos em pânico de sermos criticados e julgados por uma série de pessoas sem a menor moral para fazer isso?

Sim. HOJE é um saco. É chato, sem graça. Sem coragem pra ter humor. Tudo ofende todo mundo. Ninguém supera nada ou é capaz de rir de si mesmo. É uma incapacidade emocional sem fim de gente que está sempre pronta pra deixar e chorar em posição fetal. Um vestígio de merda do que já foi a humanidade.

Hoje vi um vídeo de mim mesmo que se fosse publicado geraria um stress sem freio. Sim. Fui completamente sem noção no que eu disse no vídeo. Mas o apavorante é a incapacidade atual de analisar tempo e contexto. Mal consigo entender porque não passam o tempo todo tentando processar a TV Pirata e os Trapalhões.

A verdade é que está tudo cada vez mais frágil. Mais fraco. Mais indefeso. E isso é uma escolha. Preferem ser fracos.

Quando eu era um piá de merda bullying não se chamava bullying. Todo mundo passava por aquela merda e aprendia a sobreviver. NENHUM amigo ou conhecido, por mais absurdos que tenha passado naquela época, se matou ou matou um colégio a tiros. Sobreviveu. E ficou foda. Invariavelmente ficou foda.

Lamento pelo crescimento da incapacidade de superar. O ser humano fica cada vez mais fraco e cada vez mais rápido em achar uma desculpa.

Não crio meus filhos para acharem uma desculpa para serem fracos. Creio para se defenderem. E se defenderem de forma eficiente, mesmo que polêmica. “Não quero que vocês comecem. Mas se alguém começar, podem me trazer os pedaços pra casa que eu resolvo.”

Ensinar uma menina hoje que ela não pode se responder não é apenas irresponsável. É criminoso. Minha filha se defende. Minha filha é foda. E sabe que eu estou ali pra defender o que ela fizer, se for justo.

Eu sou uma pessoa com motivações totalmente questionáveis. O vídeo que deu nome a este post certamente resultaria no meu cancelamento. É uma completa falta de noção da minha parte. Sem filtro e sem coração. Mas havia um contexto na época. E ignorar contexto e tempo de qualquer coisa nada mais é que ignorância. E ignorância invalida qualquer argumento.

Se eu devia ter dito os absurdos que eu disse no tal vídeo? Certo que não. Se eu me diverti dizendo toda aquela merda? Certo que sim.

Essa pseudo-santidade que virou moda nada mais é que uma utopia barata e constrangedora. A pessoa absolutamente responsável e empática não só é de mentira, como é uma chata sem precedentes.

Jamais vou fazer de conta que sou bonzinho. Sou divertido, sou uma boa companhia, sou a pessoa que um amigo pode contar quando tudo desmoronou, mas não sou um livro de autoajuda. Vou esfrega a merda na parede e mostrar que ela não vale a pena. Vou levar a porra toda pra frente. Doa a quem doer. E não vou ter medo de ser cancelado se eu estiver certo. Foda-se.

Minha avó materna, católica apostólica romana me ensinou que minha geração não sabia dizer foda-se. E jamais vou esquecer disso.

Portanto foda-se tudo que é um saco. A gente merece mais que isso. Merecemos mais diversão, mais felicidade e muito, muito mais leveza na porra da vida.

Deixe uma resposta