TSE e a mensagem subliminar

Estava eu ontem, indo dar uma exercida na cidadania, quando me deparo com o seguinte cartaz ao lado da entrada da sala onde votei:

Inicialmente, considerando minha costumeira implicância com nossa nova presidente, suspeitei que eu estava apenas sendo pentelho, e consegui deixar de lado o assunto até hoje de manhã, quando pesquisei no google a imagem acima e outra que, após a breve explicação do conceito de “Mensagem subliminar”, postei logo abaixo.

Segundo a wikipedia: Mensagem subliminar é a definição usada para o tipo de mensagem que não pode ser captada diretamente pelos sentidos humanos. Subliminar é tudo aquilo que está abaixo do limiar, a menor sensação detectável conscientemente. Importante destacar que existem mensagens que estão abaixo da capacidade de detecção humana – essas mensagens são imperceptíveis, não devendo ser consideradas como subliminares. Toda mensagem subliminar pode ser dividida em duas características básicas, o seu grau de percepção e depersuasão.”

Suspeito que o cartaz acima, sozinho, sem mais nenhuma foto junto a ele, nunca ultrapassaria o status de “leve percepção. Porém, quando colocamos a foto ao lado do cartaz, dá pra sacar melhor:

Proposital? Totalmente impossível dizer sem conversar com a equipe que escolheu a modelo da foto. Mas se não foi proposital, foi uma escolha de notável infelicidade para o pessoal que está fazendo exatamente campanha contra boca de urna.

Botando o mercado automobilístico de pernas para o ar.

Botando o mercado automobilístico de pernas para o ar.

BuscaPé: JahEh! … Triste resultado da ideia sem acento

Certamente quem acaba parando por aqui nos últimos tempos deve achar que a única coisa que eu faço é meter pau nas coisas que os outros fazem. Mas, afinal, quem manda fazer merda?

Essa campanha nova do BuscaPé é definitivamente um lixo. Inicialmente, meu relacionamento com o site de buscas era apenas ficar de cara quando algum dos resultados das buscas que eu faço no Google é um link pra esta naba. Mas no momento, ainda sou atormentado com esta porcaria entre os oito filmes que a NET tem para revezar.

Abaixo o vídeo, para que os leitores possam compartilhar do meu desgosto:

É ou não é uma monstruosidade? Suspeito que esta bosta seja o efeito da remoção do acento da ideia. Quando a idéia tinha acento, ela não chegava tão baixo.

Desculpem a todos. Sei que mostrar um vídeo desses é semelhante a mandar uma foto de uma latrina recém usada por SMS, mas meu complexo de vergonha alheia (fico tão constrangido pelo ator do comercial que chego a encher os olhos d’água) me obrigou a compartilhar.

O Cagão da Amil

Esteticamente apavorante e intelectualmente ofensivo, o novo comercial da Amil vem com força total com o objetivo de massacrar sonhos e esperanças de publicitários brasileiros por uma propaganda mais moderna.

É uma monstruosidade. Uma masturbação de efeitos visuais que apenas um norte-americano nos anos 80, ou o Hans Donner hoje seria capaz de cometer. Uma inegável porcaria.

De qualquer forma, já que eles começaram, vamos analisar o texto desse troço, para compreender porque dei o título acima ao post:

Quem está vendo pela primeira vez não entende a necessidade clara do cara já começar avisando que não está sozinho. Mas não precisarão muitos segundos a mais pra entender que é melhor dizer que não está sozinho pra tentar desencorajar as pessoas a cagarem o merda a pau.

Aos 12 segundos já sabemos que a culpa por estarmos expostos ao imbecil é dos pais dele e de todos os membros da família que o precederam.

Aos 26 segundos já dá pra desconfiar o que o cara cercado de raiozinhos e brilhozinhos e que acha que nenhum detalhe em volta dele parece igual andou tomando, né?

Aos 29, quando todo mundo já está afim de emboscar o filho-da-puta e por um fim na existência dele de uma vez por todas, ele nos avisa que terá que ser um trabalho sujo e nada discreto, avisando que ele NUNCA está sozinho.

Aos 45 segundos a Adobe já está se sentindo o criador da bomba atômica e arrependendo-se do que a sua criação causou à humanidade.

Finalmente, as 54 segundos o cagão/medroso/covarde avisa, com seus gosmentos cabelos ao vento, que ele não vai sozinho não.

Alguma dúvida de por que eu dei esse título ao post?

Pra finalizar, cabe comentar que eu só consegui achar o vídeo no youtube procurando por “amil pior”, pois só com Amil não aparecia. Hehehehe

Beber pra esquecer a crise!

Embora a histeria enlouquecida causada pela crise já comece a perder credibilidade, ainda existem aqueles setores que insistem em manter o desespero, simplesmente pelo prazer de causar terror e demitir funcionários. Porém, no país que roubou o direito divindo sobre a cerveja, é mais do que compreesível que esse setor não apenas cague e ande para a crise como seja uma fonte de novos lançamentos.

Além da chegada muito bem vinda da Quilmes aos supermercados gaúchos e do lançamento da Stella Artois em uma belíssima versão em lata, me deparei neste final de semana com algumas coisas novas nas geladeiras (que andam muito mal administradas e com temperaturas positivas, o que é inadmissível!).

Sol, Kaiser e Bavaria. Todas com 500mL.
Sol, Kaiser e Bavaria. Todas com 500mL.

A primeira delas, a qual bebo enquanto escrevo o post, é a versão de 500mL da Sol. Além dela, a Kaiser e a Bavária também tem novas latas de meio litro. A Nova Schin também tem, mas não vejo nenhuma vantagem em oferecer ainda mais mL daquela porcaria.

Porém, o lançamento mais interessante e potencialmente vendedor (na minha opinião) foi:

Skol Redondinha (269mL)
Skol Redondinha (269mL)

Skol Redondinha. 269mL que serão usados com toda a cara-de-pau que a Skol costuma ter em suas campanhas. Além disso, está po 99 centavos nos supermercados, o que torna o pack com 15 latas bastante competitivo. Pra mim, que costumo deixar a cerveja esquentar porque demoro pra beber, o tamanho é mais do que perfeito!

Obrigado, cervejarias, por deixar a crise menos dolorida para seus consumidores.

Maria do Rosário Prefeita ou Cadê o PT?

Antes de tudo gostaria de parabenizar os colegas publicitários pela estratégia muito bem desenvolvida para a campanha da candidata Maria do Rosário, da Frente Popular. Não existe nada mais inteligente do que admitir que qualquer ligação que se possa fazer de uma pessoa ao PT é totalmente nociva para as pessoas em questão.

Nenhum político que espere ser eleito gostaria de ser associado à estranha ligação do intestino do presidente à sua boca. Uma pessoa normal eliminaria tanta merda pelo ânus, mas ele insiste em fazer isso pela boca, diante de cameras de televisão. Mas gosto é gosto.

De qualquer modo, meu objetivo aqui é analisar a interessantíssima campanha da candidata Maria do Rosário. Comecemos por um dos VTs que andam veiculando:

No início a gente nem nota, mas se prestarmos atenção, tirando a estrela vermelha – que contém o 13, número dela nas eleições – não existe mais nenhuma outra alusão ao PT na campanha. Ela não fala no PT uma vez sequer, e PT não aparece escrito em lugar nenhum.

Lá vai a estrela vermelha subindo e subindo. Mas nem nela e nem no jingle, o PT é citado. O que é muito interessante quando logo depois isso é seguido por ela falando um texto em que diz “ter posição, ter lado”. E ela ainda diz, nesse mesmo tempo, que pode dialogar com a população com muita transparência. Claro. Com smart blur e outros efeitos de Photoshop nas peças impressas, sim. Mas transparência não é o caso.

Tem um dos filmes que eu não achei pra colar aqui em que ela diz que tem um agradecimento muito grande com Porto Alegre. É um desrespeito com a língua portuguesa, mas ainda subliminar demais para podermos notar sua associação com o partido do presidente.

O site foi o único lugar até agora em que encontrei um “PTzinho” tímido embaixo do logo da campanha dela. Porque mesmo a estrela que fica na barra do browser tem 13 dentro, e não PT.

De qualquer modo, o responsável por isso está de parabéns. É definitivamente uma ótima estratégia para um partido que, definitivamente, é líder em decepção de público. Muito bom!

Tic-Tac Night

Tava eu no caixa do Zaffari ontem, já totalmente conformado pela taínha recheada na grelha ter se transformado em um churrasco, quando olho para a gôndola que fica no caixa e encontro isso:

tictac

Definitivamente o tema do novo milênio só pode ser “putaria afú”. Tudo quanto é festa hoje em dia tem algum tipo de adesivo ou penduricalho que deixa claro que a pessoa está comprometida ou “pra negócio”. E o tic tac se uniu a este propósito agora. Claro, a embalagem é enganosa, afinal o que tem dentro dele são balas verdes e laranjas, e não verdes e vermelhas. Se bem que isso pode ter sido causado apenas pela preocupação da empresa em possibilitar que os daltônicos não sejam esquecidos nesta nova guloseima da pegação.

Levando em conta a alta média de QI da população já consigo imaginar o exército de idiotas tentando realmente fazer isso funcionar em uma festa. Se bem que como o exército de idiotas é formado por ambos os sexos, certamente vai ter gente que vai cair.

Então vi a dica para pelo menos ajudar um pouco a turminha da falta de noção: compra duas embalagens, abre, joga todas as balas em um pote, separa as cores, coloca todas as verdes em uma, todas as laranjas em outra, coloca uma embalagem em cada bolso (e não esquece qual tá em qual) e administra as caixinhas de acordo com as minas que aparecerem pra pegar. Isso certamente não vai funcionar, mas eu me mijaria de rir vendo alguém tentar.