Grandes Enigmas da Humanidade

Já não é de hoje que eu questiono a utilização dos impostos que eu pago para o financiamento do desfile das escolas de samba de Porto Alegre. Porém, estava lendo o divertidíssimo jornal O Sul e vi uma foto do Celso Roth – polêmico e marsupiforme técnico do Grêmio – sendo escoltado pela Polícia Militar, para não ser linchado pela torcida do time que ele desgoverna. Isso me trouxe à mente a seguinte questões:

  • Por que o povo jamais se motiva a revoltar-se e promover um quebra-quebra politicamente consicente por mais que o governo roube ao vivo com transmissão nacional, mas está pronto para cobrir de porrada um técnico de futebol após três jogos sem vencer?
  • Por que a Polícia Militar se dispõe a proteger um técnico de futebol para que ele não seja linchado, se eles não estão sendo pagos pra isso e se não houve queixa formal do técnico do grêmio em relação à ter sido ameaçado de morte por alguém?

Não existe defesa lógica para isso. Me acompanhem:

  • Quem paga o salário da Polícia é o dinheiro público, proveniente dos impostos pagos pelos contribuintes;
  • Se eu ligar para a Polícia, não importa quantas vezes, dizendo que o número de assaltos no meu bairro está cada vez maior, não há nada que vá fazer com que eles entrem e ação, e a idéia de que eles possam sequer sonhar em me escoltar do trabalho até em casa é já uma prova de loucura completa;
  • Se o Celso Roth é funcionário do Grêmio quem deveria pagar pela segurança dele deveria ser o clube e não a população;
  • Se ocorre um tumulto e um Policial sai ferido, o Grêmio irá arcar com o custo do Hospital e da licença médica do Policial?
  • Não seria mais rentável para o Grêmio, para os contribuintes e para o próprio Celso Roth se deixassem cagare ele a pau e depois se processasse cada um dos envolvidos separadamente para obter uma indenização?

Odeio futebol e a merda na cabeça generalizada causada por ele.

E falando em cérebro em desuso…

…temos a impressionante demonstração de despreparo tático e estratégico da polícia brasileira na adminstração totalmente fracassada do caso do sequestro da jovem Eloá Cristina Pimentel. É simplesmente inadmissível a maneira com que a polícia “cuidou” da situação.

A polícia cuidou ao máximo para não ter que matar Linderberg Alves, preferindo negociar o máximo de tempo possível, o que resultou na morte da ex-namorada do sequestrador e em um tiro na cara da amiga da vítima. Belíssimo trabalho.

Começando pelo básico:

– Desde quando o bem estar de alguém que está colocando a vida de duas pessoas em risco deve vir em primeiro lugar?

– Desde quando deixar um refém que foi libertado voltar ao cativeiro é algo que possa se chamar de tática?

– Por que diabos a polícia não invadiu aquele prédio por outros apartamentos, com janelas em pontos-cegos do sequestrator, e apinhou aquilo de escutas?

– Desde quando se negocia com desiquilibrado mental por mais de 24 horas?

– Por que diabos resolveram explodir a porta do apartamento?

O que eu não entendo é por que razão as centenas de alternativas e táticas existentes utilizadas no mundo inteiro nesse tipo de situação não foram aplicadas! Minha visão pessimista do mundo já imaginava que aquilo iria acabar mal, mas eu jamais teria como imaginar uma prova de incompetência tão apavorante quanto a que tivemos o desprazer de presenciar.

No final das contas, mais uma vez a preocupação com o bem estar dos criminosos resulta em dano à sociedade. A ex-namorada está morta, a amiga dela está com a cara demolida e o cara está preso. E logo devem soltar o cretino. A não ser que os presidiários resolvam resolver o problema que a polícia não resolveu e dêem cabo dele. Ainda assim, a única pessoa que teve sucesso nessa empreitada foi o próprio Lindemberg, que conseguiu sua vingança.