Império da cara-de-pau

Se existe uma coisa que certamente não vale o que custa é a democracia. Algo com uma superioridade tão gigantesca de efeitos colaterais abomináveis deveria ter sido aniquilada antes mesmo do culpado por sua criação compartilhar a idéia com alguém.

Está mais do que provado que o melhor que poderíamos fazer com 98,34% dos políticos brasileiros era um bom massacre.

O deputado Sílvio Costa (PMN-PE) também protestou contra as restrições. “É preciso acabar com esse teatro da hipocrisia. A maioria dos parlamentares desta Casa é casado. Então, agora, só quem pode ser candidato a deputado é o solteiro? As mulheres dos deputados não podem vir a Brasília? Os filhos dos deputados não podem vir a Brasília? Que onda é essa? Onde é que foram buscar essa lei? Que decisão esdrúxula é essa?”, perguntou.

Ouvir esse tipo de imbecilidade de um deputado, pra mim, é razão de golpe militar automático. A democracia brasileira faliu e precisa ser destruída. E rápido.

Respondendo ao deputado idiota: sim, podem ser casado e podem receber a visita da família em Brasília, mas como qualquer outro profissional (já que os políticos brasileiros se comportam como funcionários incompetentes contratados pelo povo) tem que pagar os custos de viagem e estadia. Não sabia que ia ser assim, deputado? Não gosta de como funciona? Renuncie. Ninguém vai nem notar sua ausência.

Pra completar, em outro campo polêmico da existência humana, temos uma demonstração de infinita cara-de-pau dotada de inabalável confiança, por parte do bispo Edir Macedo. Porém, em um momento de crise como esse, quem pode culpá-lo pelo descaramento? De qualquer modo, é sempre bom relembrar: