Camisetas Ofensivas ou Um Estudo Sobre a Falta de Atenção

 

Eu certamente não me lembro o que me levou a esta conclusão (provavelmente foi algum filme ou livro), mas ainda nos primeiros anos de faculdade, concluí que a maioria das pessoas não notaria se eu passasse a dizer “O prazer é todo seu”, em vez do costumeiro “O prazer é todo meu”.

Além do som das duas frases ser totalmente semelhante, as pessoas estão tão acostumadas a ouvir esta frase que facilmente ignorariam minha alteração debochada. Passei a dizer isso com certa frequência e realmente ninguém nota.

Anos mais tarde li que nosso querido cérebro é responsável por não apenas um bom número de ilusões de ótica, como por uma série de compreensões erradas da realidade, já que tente a “completar” aquilo que nossos sentidos captam com informações que já constam em nossa memória.

Isso me fez concluir que, seguramente, metade dos serviços de atendimento ao cliente poderia alterar a frase de sempre para “A sua ligação é muito importante para você” sem maiores problemas.

Minha impressão, ao longo desses anos, é que quanto mais uma pessoa está focada em ouvir a parte que lhe interessa de um assunto, mas tranquilamente tu pode dizer um monte de barbaridades para ela sem que ela note.

As camisetas do início do post são um exercício sobre esse assunto. Tenho certeza que passariam desapercebidas por um grande número de afegãos médios. Não apenas a alteração na mensagem é bastante discreta (embora, obviamente, mude totalmente o sentido da coisa), como a arte segue o padrão também conhecido e esperado para camisetas com esse tipo de mensagem.

E hoje, dia 7 de janeiro de 2015…

…completam dez anos e dois dias que publiquei meu primeiro post em meu primeiro blog. Era uma daquelas belezas do blogspot, que felizmente depois de alguns anos pode ser deixado de lado para se poder aproveitar o que o wordpress proporciona.

Dando uma relida nesses dez anos de blog pude chegar a algumas conclusões bastante interessantes (umas boas, outras ruins):

  • Eu não escrevi absolutamente nenhum post em 2014. É provável que isso seja culpa do Facebook. O que é apenas mais uma coisa ruim para se adicionar à lista infinita de coisas ruins que o Facebook proporciona à sociedade atual;
  • Eu era um completo sem noção no meu primeiro blog. Totalmente sem filtro e sem freio. Na época não existia Facebook, e como redes sociais não eram a esperança de conseguir milhões de clientes de tudo quanto é empresa, nossos chefes não liam nossos blogs, e nossos empregos estavam a salvo, apesar de todas as monstruosidades que éramos capazes de escrever;
  • Eu fui piorando com o tempo. Sei que meus posts eram completamente sem noção no início, mas acho que fui ficando preguiçoso com o tempo e os posts se tornaram mais curtos e muito menos divertidos de se ler;
  • Em algum momento passei a me importar com a possibilidade de as pessoas não terem mais paciência para ler posts em blog já que existe o facebook. Isso claramente não tem a menor importância;
  • Em algum momento passei a medir as palavras. Isso não apenas é completamente trabalhoso como absurdamente sem graça. Provavelmente é o que fez a quantidade de posts diminuir furiosamente;
  • O tema que eu estava usando era uma merda. Mudei pro Twenty Fifteen que veio com a WordPress 4.0. As featured images dos posts cagaram todo o layout, então eu tive que remover todas elas, de todos os posts. Uma por uma é um saco, mas existe um jeito bem mais fácil aqui (é o último código que aparece na página);
  • Descobri que meu primeiro blog está registrado em um email que eu tinha no Superig e que não vou ter como recuperar a senha;
  • Senti saudades de muitos amigos relendo os posts;

Acho que para que eu volte a me divertir com isso aqui, vai ser necessário desligar o filtro. Porém, é preciso considerar que nos últimos anos todo mundo ficou muito mimimi. A humanidade jamais esteve tão cagalhona e recalcada. Todos os assuntos se tornam uma batalha, todo mundo se ofende com tudo, e a graça da coisa simplesmente morre fácil.

Então, já que tanta gente assim não sabe brincar, vai ter coisa que eu vou bloquear. Vou passar a liberar que se assine o blog, vou criar níveis de usuário, e peneirar o conteúdo de acordo com o nível dos usuários.

Assim deixo os cagalhões de foda. Quem não gostar, que se foda (neste exato momento, após o corretor ortográfico que não sei se é do Safari ou do WordPress transformar “foda” em “toda“, eu acabo de ter o prazer de clicar no botão direito do mouse – sim, o mouse do mac tem botão direito – e selecionar “learn spelling” Agora tudo está bem.)

Isso vai me obrigar a instalar alguns plugins, mas nada sofrido.

Ainda estou decidindo se entre duas mecânicas:

  1. Posto o conteúdo sem freio ou filtro e vejo o que acontece. Dependendo do nível de mimimi eu torno o conteúdo privado;
  2. Eu já posto privado para aqueles que não são malas.

De qualquer forma, está dado o início oficial de um 2015 com muito mais diversão por aqui.

Vamos nessa!

Internet Explorer em: Delírios de um Browser Decadente

Tipo, o browser mal consegue acessar a internet e tem a cara de pau de apresentar o seguinte item no menu:

Imprimir Destino

Mais perto!

Imprimir Destino

E depois eu que sou megalomaníaco.